As Leis do Reino

Nas mentes dos cristão existe uma verdadeira confusão formada em relação ao assunto “lei e graça”. Para a maioria das pessoas, Jesus veio abolir a lei, e agora ser cristão significa que a lei não tem nada a ver conosco, pois vivemos no tempo da graça. Leia o que Jesus ensina em Mat 5:17 a 19: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus”.
Como fica então a situação? Estamos ou não debaixo da lei? A primeira coisa que temos de entender é existe lei moral, que são os dez mandamentos, e a lei cerimonial, que eram as leis de higiene, leis sacrificiais, etc. ensinadas no Velho Testamento. A lei dos dez mandamentos nunca passará, porque ela é a expressão do caráter de Deus, a menos que Deus mude o seu caráter, os dez mandamentos nunca passarão, como disse Jesus no texto acima. Os dez mandamentos se resumen em dois: 1) amar a Deus sobre todas as coisas, 2) amar o próximo como a si mesmo, Mt 22:37a40. Jesus deu um novo mandamento: amor.
Se a lei expressa o caráter de Deus, e o Espírito Santo quer produzir esse caráter em nós, então, como fica então esse assunto? A resposta é essa: quando nascemos de novo, o Espírito Santo produz seu fruto em nós, que é a expressao do caráter de Deus, ou a expressão do significado dos dez mandamentos. Dessa maneira a lei “se cumpre em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito” Rom 8:4. Ninguém pode cumprir as exigencias do caráter de Deus, porisso ninguém cumpre a lei, mas a lei se cumpre naqueles em quem o Espírito Santo produz seu fruto. E todas as outras leis, segundo o que disse Jesus em Mat 22:40, dependem do cumprimento da “lei do amor” em nós.

Trabalhadores da Vinha

TRABALHADORES DA VINHA

Segundo Jesus, o reino dos céus é semelhante a um dono de casa que saiu de madrugada para assalariar trabalhadores para sua vinha, Mt 20:1. O texto começa com a expressão “Porque o reino dos céus é semelhante”, indicando que Jesus continuava a tratar do mesmo assunto que estava falando antes. O Assunto anterior é sobre a história de um jovem rico e sobre a questão da riqueza explorado no capítulo 19:16 a 30. No texto anterior, Jesus ensina como as riquezas, ou posses de bens materiais nesse mundo se tornam um empecilho para a entrada no reino dos céus. Segundo o texto do jovem rico, ele fcou fora do reino por seu apego às riqueza, tinha muitas propriedades e nelas estava seu coração, Mt. 19:22.
Na sequencia do texto, Mt 19:23, Jesus diz aos discípulos que é muito difícil uma pessoa rica que coloca seu coração nos bens que possui entrar no reino dos céus. Como todo mundo sabe, isso é uma das princípais coisas no coração humano, poriso os discípulos perguntam: “Sendo assim, quem pode ser salvo? Mt 19:25”. A resposta de Jesus é essa: “Isso (a salvação) é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível” Mt 19:26. É exatamente nesse contexto que Jesus explica através da parábola dos trabalhadores na vinha, como alguém entra no reino dos céus.
Ai vão a sequencia do que é necessário para entrar no reino dos céus: 1) a pessoa precisa estar na praça, disponível para ser contratado para o trabalho na vinha, 2) alguns são contratados mais cedo e outros mais tarde, em diferentes horas do dia, 3) o pagamento fica a critério da decisão do dono da vinha, o texto diz que ele paga o que “for justo”, Mt 20:3, para alguns o dono da vinha estabelece o que ele acha justo na hora da contratação Mt 20:2, para outros ele nada diz sobre o salário, sòmente que o pagamento será justo. Entretanto, aos olhos dos primeiros trabalhadores, há um problema sério em relação à justiça, porém que o pagamento é igual para todos, independente do tempo de trabalho na vinha. A resposta dono da vinha é essa: “Porventura, não me é lícito fazer o que quero com o que é meu? Ou são maus os teus olhos porque eu sou bom?”Mt 20:15
Verdades ensinadas no texto: 1) ninguém entra no reino dos céus pelo quanto trabalhou na vinha, mas pelo fato de que estava disponível para trabalhar nela, 2) o pagamento é igual para todos, pois o preço da entrada no reino dos céus pois sòmente se entre lá pela pagamento que Jesus fez pela sua morte, 3) a recompensa da entrada no reino é dada pela bondade e pela graça de Jesus, nõa pelo merecimento das obras humanas.