sábado, 13 de abril de 2024

UMA VIDA DE AÇÕES DE GRAÇA

    UMA VIDA DE AÇÕES DE GRAÇA
2 CRON CAP 5

 

Introdução: Nosso pensamento sobre as razões pelas quais a Biblia nos manda dar graças
                     fica muito aquém da verdadeira razão apresentada na Biblia. As vezes damos
                     graças porque e um mandamento, as vezes damos graças quando recebemos
                     alguma coisa que consideramos vindo de Deus, etc. Quando lemos que Deus
                     manda dar graças em tudo, ai entendemos que a razão é simples obediência.
                     Na verdade é muito mais que isso.                    

IAÇÕES DE GRAÇAS TEM A VER COM A ARCA DA ALIANÇA

   a -  Entendendo a arca da aliança
      a.1 Simboliza a presença de Deus com o povo
      a.2 Tinha dentro as duas tabuas da Lei dada a Moiseis, v.10
      a.3 A arca da aliança era carrega pelos sacerdotes de Deus, v.5b
      a.4 Deveria ser colocada no Santo dos Santos, v.7a
      a.5 Deveria ficar debaixo das asas dos Anjos, propiciatório, v.7b
      a.6 A arca da aliança era um tipo Jesus         

II A ARCA DA ALIANÇA E NÓS: QUEM REALMENTE SOMOS

    a - Deus não habita em casas feitas por mão de homens, At 7:48
    b - Nós somos o sanuário de Deus, 1 Cor 6:19
    c - Fomos comprados por preço da vida de Jesus
       c.1 Deus se encotrou conosco em Jesus no propiciatório(cruz)
       c.2 Agora Jesus, a arca da aliança, precisa ficar em nosso santíssimo
             lugar: nosso Espírito 

III - HOSPEDANDO A ARCA COM AÇÕES DE GRAÇAS

     a - Vestindo linho fino: nossos atos de justiça, v.12a; Apoc 19:8b
     b - Devemos ficar em pé diante do altar, v.12b
     c - Devemos prestar adoração, louvor e ações de graças, v.13
     d - Com instrumentos e vozes reconhecendo sua bondade e misericórdia, v.13
     e - Nossa vida precisa ficar cheia da da Presença e da glória Deus
          de maneiras que não sobre lugar para nós, v.14   

Conclusão: Ações de graças ao Senhor precisam vir de quem realmente somos
                    em Deus e precisam vir como resultado de estarmos cheios de Sua
                    presença.

PERGUNTA PARA MEDITAÇÃO

 1– O que minha ação de graça ao Senhor reflete: a- a essencia de quem sou
     ou b- um simples reconhecimento das bênçãos de Deus?

sexta-feira, 29 de março de 2024

PÁSCOA: O PROJETO
MISSIONÁRIO DE DEUS
Gen 12:1 a 28; Ez 37:1-14

 

Introdução: A páscoa, alem de ser um fato histórico é também uma parábola para o tempo
                      presente ( Heb 9). A parábola era: o Egito como símbolo do mundo debaixo do
                      pecado, debaixo da perdição; a salvação significando Deus tirando seu povo 
                      do mundo através de um plano de ficar dentro de uma casa(Jesus) com sangue 
                       nas portas para proteção contra a morte, alimentar-se de um cordeiro e pães 
                       asmos (Jesus), passar pelo mar simbolizando a cruz de Cristo, passar pelo 
                       deserto que Não é a sua morada (santificação) entrar numa terra que mana 
                       leite e mel(céu). Como parábola, a páscoa nos ensina alguns princípios 
                       eternos do plano eterno e Deus para a humanidade: é a Missio Dei. 
                      Vejamos alguns deles:                    

IA MISSÃO DE DEUS É ENCARNACIONISTA, Jo 1:14; 3:16; 1Jo 4:9

   a - O novo nascimento é um processo que começa em Deus  
      a.1 Começa com voce ficando dentro da casa,( escondido em Cristo) v.7
      a.2 O sangue na porta(testemunho do preço pago), v.7
      a.3 Comer o cordeiro e o pão (Jesus o alimento), v.7
      a.4 Cordeiro assado, v.8 a10
      a.5 Comer preparado para a viagem, v.11,12    

II NOSSA MISSÃO NO DESERTO, Ex 37:1 a 14

    a - Estamos no meio de um vale de ossos secos, 37:1a3
    b - Nossa missão: profetizar sobre ossos secos, v.4
    c - O conteúdo da profecia é o que Deus nos dá:
       c.1 Trazer o espírito de vida, v.5
       c.2 Trazer a vida a um corpo novo, v.6
       c.3 Regenerar toda a casa de Israel, 10,11; Rom 9:6,7
       c.4 Colocar em todos Seu Espírito... uma grande família, v14
       c.5 Para que todas saibam que Ele e o Senhor e nós seu povo, v.13    

Conclusão: Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome
                    de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido
                    de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos.
                    Como fruto dos seus lábios criei a paz, paz para os que estão longe e para os que
                     estão perto, diz o SENHOR, e eu o sararei. Is 57:15, 19                  .

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO 

1 – Que tipo de envolvimento estou tendo com a Missão de Deus?
2 – Quais as duas maiores coisas que farei para me envolver mais com a missão de Deus?

sexta-feira, 1 de março de 2024

VOLTANDO AO PRIMEIRO AMOR
Jer 2:2,3 - Apoc 2:4 a6 - Luc 7:37-50

 Introdução: Jeremias nos diz que o primeiro amor é uma consagração. A consagração

                     acontece no estado de “noiva” apaixonada, quando temos uma afeição pelo
                     Senhor que nos faz segui-lo em situações como o deserto, nos faz primícias
                     da sua colheita e que ousa tocas em nós, toca no Senhor. Mas o Apocalipse
                     2 nos diz que podemos abandonar esse primeiro amor e que isso nos coloca
                     em pleno confronto com Deus a ponto dele “nos mover do nosso Lugar”.                    

IAS MANIFESTAÇÕES DO PRIMEIRO AMOR, Luc 7:37-38

   a - São as manifestações de um ser pecador amando, v.37a  
      a.1 É capaz de ir a Jesus num lugar em que não é convidada
      a.2 É capaz de ir a Jesus em um lugar que será rejeitada
      a.3 É capaz de ir a Jesus numa hora imprópria  
   b -.As motivações do primeiro amor v.37,38 
      b.1 Não é receber nada de Jesus
      b.2 É oferecer a Jesus o melhor que tem, o alabastro
      b.3 É assumir um lugar de servo, lavar os pés.
      b.4 É se entregar totalmente a Jesus
        b.4.1 Entregando a Ele um coração quebrantado
        b.4.2 Entregando suas lágrimas para os pé de Jesus
        b.4.3 Usando seu cabelo como toalha para os pé de Jesus
        b.4.4 É beijar os pés de Jesus
        b.4.5 É colocar seu tesouro nos pés de Jesus.      

II MANIFESTAÇÕES DA FALTA DO PRIMEIRO AMOR, Luc 7:39-47

    a - Começa com as dúvidas sobre a identidade de Jesus, v.39a
    b - Leva a rejeição do ministério de Jesus, 39b
    c - Leva à rejeição de quem ama a Jesus, 39c
    d - É o primeiro amor que conduz ao perdão, v.41 a 43
    e - O primeiro amor demonstra nosso relacionamento real com Jesus
    f - O primeiro amor nos leva a uma humildade profunda
    f - Duas maneiras de receber Jesus: a do fariseu e a da pecadora.   
 
Conclusão: Então, disse à mulher: Perdoados são os teus pecados. Os que estavam
                     com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa
                     pecados? Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.v.47-50                  .

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO 

1 – Que tipo e amor está determinando meu relacionamento com Jesus?

2 – Quais as duas maiores coisas que farei para voltar ao primeiro amor?

sábado, 17 de fevereiro de 2024

                                                 QUE FAREI PARA HERDAR
                                                             A VIDA ETERNA?
                     Luc 10: 22 a 37
 
Introdução: Herdar a vida eterna deve ser o objetivo de todo cristão. Porém há
                     dois problemas relacionados com isso: o que fazer e como fazer
                     para possuir essa herança. É do interesse de Deus que herdemos a
                     vida eterna, pois seu grande plano é constituir uma família para
                     viver sempre com Ele. Como estamos na caminhada da conquista
                     da nossa herança?

ISÓ O CONHECIMENTO INTELECTUAL DO PLANO NÃO SALVA

   a - As intenções por trás do conhecimento podem ser malignas, v.25a
   b - Saber o que fazer é simples: os 10 mandamentos dizem o que fazer, v.26,27
   c - Porém temos que obedecê-los para ter a vida eterna, v.28
   d - Obediência é exatamente o problema, v.29 

II QUEM É DEUS É CLARO, QUEM É O PRÓXIMO NEM TANTO.

    a - Quem não ama o próximo a quem vê não pode amar a Deus que não vê, 1 João 4:20
    b - Jesus propõe um estudo do caso do homem que foi assaltado para ensinar
          sobre como é a falta de amor e sobre como é a manifestação do amor, v.30
    c - As vezes é fácil reconhecer a falta de amor dos salteadores, v.30; João 10
    d - Um pouco mais difícil é reconhecer a falta de amor dos religiosos, v.31.32
    e - Mas é fácil reconhecer o amor do Samaritano, v.33,34,35
       e.1 Passa perto, ele vê, v.33 a
       e.2 Sente compaixão, v.33b
       e.3 Se chega, da remédio para trata das feridas, v.34
       e.4 Coloca sobre o próprio animal e vai a pé, v.34b
       e.5 Leva para uma hospedaria e trata do ferido, v.34c
       e.6 Paga o custo da recuperação do ferido, v.35a
       e.7 Assume uma possível dívida, v.35b 

III AS TRES FILOSOFIAS DE VIDA

      a - Dos salteadores: o que é meu é meu e o que é teu e meu também
      b - Dos religiosos: o que é teu é teu, o que é meu é meu e não te dou o que é meu.
      c - Do samaritano: o que é meu é meu mas também é teu se você precisar.  
   
Conclusão: A pergunta natural: de quem o caído era o próximo? A pergunta de Jesus:
                    Quem foi o próximo do caído? Quem usa de misericórdia. Vai tu e faz o
                    mesmo.        .

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO 

1 – Qual é a minha filosofia de vida?
2 – Que farei para me tornar mais parecido com o samaritano?

sábado, 3 de fevereiro de 2024

A PERFEIÇÃO DA UNIDADE

                                           A PERFEIÇÃO DA UNIDADE

JOÃO CAP 17:23a

 
Introduçao: Deus realiza seu plano para seus filhos(as) baseado no princípio da semente,                          1 Cor 15:35a49. O resultado final do plano são muitos filhos e filhas 
                     semelhantes ao Jesus da ressurreição. A unidade entre nós e Deus feita através 
                     de Jesus é a essência que produz essa família de muitos filhos(as). Essa 
                     unidade se reflete de duas maneiras: nós Nele, Ele em nós. Vida bios: vida 
                     animal, psiche: pessoalidade, zoe: vida espiritual - vida de Deus.                    

IA UNIDADE DA VIDA ETERNA ζωὴ: NÓS NELE- NOSSA ESSENCIA

   a - Essa vida eterna vem pelo conhecimento de Deus, v.3b
   b - Conhecimento espiritual é a compreensão do significado da nossa existência.
   c - Essa vida vem quando somos regenerados pela Palavra de Deus, 1Pe 1:23
         Duas palavras para semente: σπέρμα, Mt 13:24 - σπορᾶς, 1Pe 1:23
   d - Essa vida zoe nos dá a natureza de Deus, 2 Pe 1:4b
   e - Essa unidade requer que nós não vivamos mais, mas Cristo viva em nós, Gal 2:20  
   f  - É essa vida que produz o gozo de Deus em nós, v.13b - frutos do Espírito.
   g - É a unidade da vida eterna que nos glorifica, v.1b,5a, 22; Rom 8:21; 2 Cor 4:7

II A UNIDADE DA VIDA ETERNA ζωὴ: ELE EM NÓS- NOSSO SERVIÇO

    a - Cristo vive em mim, vivo pela fé nele, Gal 2:20
    b - Fe que vem por meio de Jesus, At 3:16
    c - Nosso serviço: consumar a obra que Ele nos deu para fazer, v.4
    d - Transmitir as palavras que Jesus nos deu, v.8
    e - Exercer a intercessão pelos filhos de Deus, v.9
    f - Possuir todas as coisas que são de Jesus, v.19
    g - Estar onde Jesus está, 24
    h - Conhecer e fazer o nome do Pai conhecido, v.26
 
Conclusão: A palavra de Jesus é essa: Portanto, sede vós pefeitos como perfeito é o vosso
                    Pai celeste, Mt 5:48. “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas
                    uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para
                    as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana
                    vocação de Deus em Cristo Jesus. Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos
                    este sentimento; e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos
                    esclarecerá. Fil 3:13 a 15                .

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO 

1 – Numa escala de  0 a 10, o quando minha unidade com Jesus tem mudado a minha vida?
2 – Quais as duas maiores coisas que farei para crescer na unidade com Jesus?

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2024

 O MEU SERVO, O JUSTO

            Isaías. 52: 13-15; 53:1-12

 

Introd. 700 anos antes de Cristo o profeta Isaías faz este registro tão 
              detalhado acerca da morte de Cristo. É como se ele estivesse 
              apreciando um fato já ocorrido. Os detalhes que o texto nos 
              mostra e vamos apreciar hoje são precisos. A crucificação de 
              Jesus, nãos foi acidental mais foi algo estabelecido pelo 
              nosso Deus. Ele nasceu para ir a cruz (João.3:16). Ele nasceu 
              para morrer em nosso lugar. Esse foi maior de todos os 
              sacrifícios. Refletindo nisto podemos entender algumas coisas:       

I -  A MORTE DE CRISTO NÃO FOI CIRCUNSTANCIAL 

a) Não foi por causa da traição de Judas.

b) Não foi pela perseguição, ou pelas acusações ilegais do Sinédrio 

     de sedição e blasfémia; ou  pela covardia de Pilatos; ou pelos 

     gritos da multidão que pediam a grito para ele ser crucificado.

      c) Pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades. 

          texto Vejas as razoes que o texto a biblia nos dá: v.5a  

    c.1 Ele foi transpassado

    c.2 Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossa 

          dores levou sobre  si, v.4

    c.3 Por causa das transgressões do meu povo ele foi ferido, v.8b

    c.4 Com tudo, levou sobre si o pecado de muitos... v.12

    c.5 Isso nos mostra a malignidade do pecado

    c.6 Isso nos mostra a grandeza do amor de Deus. 

II - O PAI O LEVOU PARA  A CRUZ

a) Mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos, v.6

b) Todavia, ao Senhor agradou moe-lo, fazendo-o enfermar, v.10

c) Nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido, v.4b

d) Porque Deus o levou para a cruz?

    d.1 Porque a Justiça de Deus não pode deixar de ser satisfeita

    d.2  Para não condenar nos condenar ao inferno eterno Deus ofereceu 

           seu filho em nosso  lugar

          d.3 Então quem levou Jesus para a cruz foram: os nossos pecados. o 
                Pai e Jesus Cristo voluntariamente se entregou.
    e) Veja a sequência do plano de Deus:
           e.1 Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades 
                 e as nossas dores, v.4
           e.2 Quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado... a decisão 
                 foi Dele, v.10
           e.3 Podemos entao dizer que Jesus não foi para a cruz por 
                 circunstancias imediatas. Não! ele veio para morrer. Esse plano 
                 já estava estabelecido na eternidade. Ele veio para cumprir esse 
                 propósito de Deus e, voluntariamente ele se entrega.

III. O SOFRIMENTO QUE JESUS SUPORTOU NA CRUZ

      a) foi um sofrimento moral, espiritual e físico
      b) Foi desprezado;
      c) O mais rejeitado entre os homens;
      d) Homem de dores e que sabe que é padecer;       
      e) E, como um de quem os homens escondem o rosto;
          e.1 E Jesus Cristo se apresenta desde a eternidade como nosso representante, 
                como nosso fiador.
         e.2 Jesus Cristo suportou um sofrimento moral e espiritual.
         e.3 Mais também Jesus suportou um sofrimento emocional, (v.3)
 

IV - A RECOMPENSA DE JESUS

a) Ele venceu a morte. (v.10)
        b) Ele ressurgiu. Ele está vivo, ele venceu a morte. Ele tem as chaves da morte e do  
            inferno.
c)     Jesus remiu um povo para Deus. (v.11,12) louvado seja Deus!!
c.1Ele nos comprou com o seu sangue.
c.2 Ele nos remiu
c.3 ele nos resgatou para Deus para sermos um povo especial para gloria de Deus!!
        d) Jesus chama um povo para si (v.12)
 d.1 Você é a recompensa de Jesus.
d.2 O Pai deu um presente para Jesus. em virtude do sacrifício ele deu voce para ele.
d.3 Por isso que a bíblia diz que Ele verá o fruto do seu penoso trabalho.
d.4 Por isso que Hebreus diz: que ele não levou em conta a ignonimia (a grande desonra infligida por um julgamento público) da cruz, mas, pela alegria que lhe estava proposta ele suportou a cruz, ele se entregou.
d.5 A cruz não sinal de derrota. A cruz é o maior sinal de vitória.
d.6 Foi na cruz que ele pegou a nossa sentença de morte eterna e nos resgata.
d.7 E ele diz: “aquele que crê em mim, passa da morte para a vida

Conclusão. Que valor alto, que preço alto foi pago pela sua redenção!! 

                    Custou tudo para Deus. Custou a vida do seu filho. Esse 

                    foi o preço que ele pagou por você e agora você precisa 

                    responder:  Quem creu na nossa  pregação.

 

PERGUNTAS:

1- Como o modelo de servo apresentado por Jesus esta se cumprindo em mim?
2 - quais as 2 maiores coisas que farei para assemelhar me mais a Ele?

sábado, 27 de janeiro de 2024

                                     MISSÕES É O CORAÇÃO DE DEUS

Fil 2:5 a 11- Mt 26:16 a 20

 

Introd: Antes que  Deus decidisse nos criar, Ele já sabia do pecado de Adão e 

              Eva, e já havia elaborado o plano de resgate. Esse plano é o que 

              chamamos de “missão”. O Interessante é que Deus poderia desenvolver 

              seu plano missionário usando qualquer outro método, porém decidiu 

              usar o ser humano. Porisso enviou seu seu único filho para tornar-se 

              humano como nós, e o onstituiu como primeiro missionário. Dessa 

              maneira, os que tem o Filho vivendo sua vida neles, são missionários. 

              A essa missão chamamos de “Missio Dei”, significando Missão de Deus. 

              Ela é Uma missão integral: deve atingir todas as áreas da vida do cristão.

 

I – COMO DEUS CONSTITUIU JESUS COMO MISSIONÁRIO, Fil 2:5-11             

   a – A missão de Deus começa na pessoa que é Seu filho, v.5

   b – A missão de Deus começa estabelecendo a identidade, v.6 a 11

      b.1 Começa re-estabelecendo aquilo que foi perdido no pecado, v.7

      b.2 Começa pela humilhação da cruz, v.8

    c – A missão de Deus termina na exaltação, v.9-11

       c.1 Começa dando um novo nome, v.9

       c.2 Continua dando  autoridade no céu e na terra, v.10

       c.3 Termina produzindo a confissão de que Jesus é o Senhor, v.11

 

II –  COMO JESUS NOS CONSTITUIU MISSIONÁRIOS, Mt: 28:16-20

    a – A comissã começa com a obediencia que leva a uma

          experiencia com o Jesus ressuscitado, v.16

    b – A comissão segue com a adoração da fé, v.17

    c – A comissão segue baseada nas declarações de Jesus, v.18 a 20

       c.1 Declaração de irmos com seu poder, v.18,19

       c.2 Declaração de ensinarmos tudo o que Jesus ordenou, v.20a

       c.3 Declaração de irmos com sua presença, v.20b

 

Conclusão: A “Missio Dei” é primariamente encarnacionista transformacional,

                    e não primariamente organizacional, Heb 10:5 a 8. O “fazer” deve vir do

                    “ser” E deve começar por onde estamos até atingir os confins da terra, At 1:8

 

PEGUNTAS PARA MEDITAÇÃO

 

1 – Qual a visão que tenho sobre mim mesmo em relação a missões?

2 – Quais as duas coisas principais que farei para amoldar-me à visão de Deus?