JESUS E SEU CORAÇÃO DE DISCÍPULO


JESUS E SEU CORAÇÃO
DE DISCÍPULO - 1 SAM 16:7-IS 50:4-5
                                                                              
Introd:  Uma outra coisa indispensável no discipulado que o Pai fez com Jesus foi o
               assunto “CORAÇÃO DE DISCÍPULO”. Vemos que Jesus enteu isso
               corretamente quando Ele fez a escolha de seus discípulos: ‘Vinde após mim
               e vos farei pescadores de homens, Mt 4:19”. O chamado ao discipulado é
               um chamado para “tornar-se”. Então podemos entender o chamado de Jesus
               assim: “ Vinde após mim e Eu te farei salvador e reconciliador dos perdidos
               comigo e seremos uma família”. Sem coração de discípulo, isso seria 
               impossível.           
    
I – JESUS E SEU CORAÇÃO DE DISCÍPULO.
      Discipulado tem a ver com valores, veremos abaixo alguns valores de Jesus.
   a – O coração de Jesus reflete devoção. (relacionamento)
      a.1 Amor, Jo 3:36; Jo 5:20; Jo 17:26; Jo 10:17
      a.2 Fé (que vem pelo ouvir) radical no Pai, Jo 8:40; Jo 15:15;
      a.3 Honra, reconhecimento da importancia, respeito é atitude
           de consideração, Jo 5:23; Jo 8:49; Rom 13:7; 1 Tim 1:17
     a.4 Obediencia radical, Fil 2:8; Heb 5:8; Jo 14:31; Luc 22:42; Tiago 1:22

  b – O coração de Jesus reflete convicção.
     b.1 – Sua total consciencia das coisas, Mat 12:15; Luc 9:47, 11:17, Jo 6:15, 13:1,3
     b.2 – Em dar sua vida por nós, Jo 10:11,15,17,28
     b.3 – Em viver suas convicções até o fim, Jo 10:18,12:25, 13:1;

  c – O coração de Jesus reflete um estilo de vida que busca primeiro Deus.
        O resultado é uma vida sem compartimentos.
     c.1 Intmidade contínua com o Pai,
        c.1.1 Sua intimidade determinava: suas obras, Jo 5:19,20,
                 seus julgamentos, 5:30, 8:16, seus ensinos, 8:26,38,
                 unidade, Jo 10:30, 17:21
     c.2 Dependencia incondicional do Pai, Jo 12:49,50
     c.3 Viveu integralmente sua identidade, realizou seu destino, Mt 16:13,15
     c.4  Viveu plenamente a liberdade de Filho do Pai, Gal 5:22,23
       
Conclusão: Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque
                    dele procedem as fontes da vida. Prov 4:23.

PERGUNTAS

1 – Em minha vida busco a Deus em primeiro lugar?
2 –  Quais duas coisas mais importantes que impedem essa busca?

O DISCIPULO JESUS


JESÚS, O DISCIPULO
JOÃO 8:28 a 36
                                                                              
Introd: O discipulo modelo é Jesus, ele disse que “nada fazia por si mesmo,
              Mas falava o que via o Pai o que o Pai o havia ensinado”. Discipulo é um
              Aluno que aprende com seu mestre.É certo que o aluno precisa decidir a
              Aprender mas o problema  começa quando queremos aprender sem que haja
              Submissão ao mestre como Jesus teve ao Pai. Desejamos muitos mestres
              Segunda nossa escolha. Ao fazer isso, estamos buscando ouvir algo que nos
              Agrade, então acontece o que a Biblia ensina ser uma característica dos fins
              Dos tempos, 2 Tim 4:3. Hoje temos pouca leitura bíblica e muito youtube.
    
I – JESUS, O DISCÍPULO
   a – Aprendendo a submissão.
Só João fala 47 vezes sobre Jesus debaixo das iordens do Pai. Submissão é o
caminho da cruz de Jesus e é o modo como mele viveu todos os dias de sua vida.
     a.1 Submissão no quando fazer as coisas, Jo 2:4
     a.2 Submissão em assumir a forma de servo, Fil 2:5 a 8
     a.3 Submissão ~vontade do Pai, Jo 6:38; 12:49,50
     a.4 Submissão ao obedecer por amor,  Jo 14:30, 31
     a.5 Submissão em permanecer no amor do Pai, Jo 15: 10
     a.6 Submissão no aceitar o sofrimento, LC 22:42
  b – Aprendendo o sofrimento
     b.1 Recebeu a coroa d aglória para sofrer, Heb 2: 9-10
         b.1.1 Clamou mas teve que aprender a obediencia, Heb 5: 7-9
     b.2 Foi exaltado porque passou pelo sofrimento
         b.2.1 Foi exaltado porque passou pelo sofrimento, Fil 2: 8,9; 2 Timoteo 2: 5
         b.2.2 Recebeu o premio pelo sofrimento, Luc 22:15
         b.2.3 Com consciencia celebrou o sofrimento, Is 53: 10a
         b.2.4 Está vendo sua porteridade, Isa 53: 10b
         b.2.5 Ve o fruto de seu trabalho e fica satisfeito, Isaías 53: 11a
         b.2.6 Com seu conhecimento justifica a muitos, Is 53: 11b
  c – Aprendendo a perseverança
     c.1 – Pelas escolhas que fez para andar na Palavra de Deus:
           c.1.1 A respeito do início de seu ministério, Mt 3: 12-15
           c.1.2 A respeito da tentação, Mt 4: 1 a 10
           c.1.3 A respeito do que fazer no dia a dia, Juan 5:19
           c.1.4 Sobre como preparar-se para as horas difíceis, Mt 26:36 a 45
       
Conclusào: Foi pelo fato de Jesus ter se tornado um discípulo comprometido
                    Com o Pai que ele pode experimentar, ainda em sua vida terrena,
                     A paz que tornava possível dirmir na tempestado, Mt 8:24, pode
                     Manter-se em seu propósitoMt 16:21-23 e pode ter certeza de sua
                     Identidade, Mt 16:15,17

PERGUNTAS

1 – Qual das 3 características nas quais Jesus foi verdadeiro discípulo, necessito melhorar?
2 -  Que farei para me tornar mais igual a Jesus nessa(s) area(s)?      

O DISCÍPULO JESUS E SUA MISSÃO


O DISCÍPULO JESUS
E SUA MISSÃO
JOAO 8:28 a 36
                                                                              
Introd:  Uma coisa indispensável no discipulado que o Pai fez com Jesus foi o
                assunto “MISSÃO”. Missão tem a ver com propósito e como nosso
               Deus é um Deus de propósitos, a missão de Jesus foi central em sua vida.
               Jesus foi totalmente dirigido pelo seu propósito epela sua noção de tempo.            
    
I – JESUS E A MISSÃO “QUASE IMPOSSÍVEL”.  
   a – Cumprir os planos de Deus: buscar e salvar o perdido, Luc 19:10
     a.1 Sua Missão começou na eternidade, no coração do Pai, Gen 3:15; 22:16-18; 1Pe1:19-20
     a.2 O métoda da missão é a encarnação, baseada na identidade,  Heb 10:5; Luc 18:31-34; Jo 14:6
     a.3 Foi intencional com sua missão, Luc 2:49, Luc 9:51-56
     a.4 Ainda está cumprindo sua missão, Rom 8:29

  c – O Segundo Adão, 1 Cor 15:42 a 50
     c.1 – Seu nascimento, Luc 1:31 a 35
     c.2 – Sua tentação, seu Jardim do Eden, Luc 4:1 a 13
     c.3 – Sua habilitação ministerial, Mt 3:16,17; 4:1
     c.4 – Seus ensinos, exemplos e milagres em seu ministerio, Mt 13; Jo 13:13-15; 6:3-12

  b – A unção para cumprir a missão
     b.1 Não era uma missão pelo poder do homem, Is 61:1; Luc 4:20-21
     b.2 Não era uma missão de julgamento, compare Isaias e Lucas. Qual a diferença?
     b.3 O julgamento vem depois, Mt 12:36; Mt 13:30,38-39; Jo 3:19, 5:22.
     b.4 Era uma unção que motivava a missão, Luc 10:21  
     b.5 Sua missão era trazer o Reino dos Céus para os filhos do reino, Mt 12:28; 13:37,38
        
Conclusão: A missão de Jesus exigiu uma aliança sacrificial, uma obediencia fiel
                     e um espírito de servo. Ele foi servo da missão da qual foi encarregado.


PERGUNTAS

1 – Minha vida é dirigida por um propósito claro vindo de Deus?
2 – Quão importante é a minha missão para mim?
3 – Sou realmente servo(a) da minha missão ou dos meus projetos pessoais?


O PODER DA UNIDADE

O PODER DA UNIDADE
GEN 11:1 A 9
                                                                               
Introd: Unidade é uma forma de existencia. Unidade tem origem no próprio Deus,
              na trindade, onde o Pai, Filho e Espírito Santo são tres pessoas distintas mas
              existem como um só Deus. Unidade só existe na diversidade. A unidade tanto
              existe para o bem como também para o mal. A unidade para o bem foi feita
              por Jesus na cruz e o seu resultado se chama igreja.
    
I – AS CARACTERÍSTICAS DA UNIDADE.
   a - Uma só linguagem, v1a
     a.1 É arbitrária
     a.2 É produtiva e criativa
     a.3 É sistemática
     a.4 É social
     a.6 É não-instintiva, convencional
  b – Uma só maneira de falar, v1b
     b.1 O falar da unidade em Babel: rebelião Gen 11:2,3
         b.1.1 Chegar ao céu, v.4a
         b.1.2 Tornar seu nome famoso, centralizado no eu v.4 b
         b.1.3 Não ser espalhado pela terra, v.4c
     b.2 O falar da unidade na igreja: no Espírito, em amor e paz, Ef 4: 1 a 3 
         b.2.1 Paulo roga em nome de Jesus pela unidade, 1 Cor 1:10
         b.2.2 Um só coração e alma, At 4:32,33;
         b.2.3 Como viver a unidade, At 2:44;
         b.2.4 A unidade é a maneira digna do viver cristão, Fil 1:27
  c – O poder da unidade, Gen 11:5 a 7
     c.1 – Deus está atento ao assunto da unidade: vê Babel e vê a Igreja
     c.2 –  Segundo Deus a unidade rompe todas as restrições, v.6
     c.3 – O que Deus faz na unidade de Babel:
        c.3.1 Deus traz confusão de linguagem, v.7
        c.3.2 Deus dispersa e separa os rebeldes, v.9
     c.4 – O que Deus faz na unidade da Igreja: benção e vida para sempre, Sl 133
        c.4.1 Unidade na Igreja produz santidade:  a ordenação do sacerdote, v.2
        c.4.2 Unidade na igreja produz frutos, o orvalho de Deus, v.3
        c.4.2 É Deus que concede a unidade, devemos nos posicionar para receber, Rom 15:5,6
       
Conclusão: Não podemos criar a unidade, ela já foi criada na cruz, mas temos o
                     dever de manter a unidade nos termos do evangelho.

PERGUNTAS

1 – O quanto as decisões que tomo em relação à igreja mantém a unidade?
2 – Quais duas coisas que farei para manter a unidade na igreja?