ARREPENDIMENTO OU PENITÊNCIA?


           Muito de nossa interpretação bíblica é condicionada pela cultura religiosa que nos cerca. Esse é o caso do assunto “arrependimento”, por exemplo. Por causa da cultura religiosa Católica-Romana predominante no Brasil, onde a salvação é conseguida através de boas obras, o arrependimento é visto como significando “penitência”. Penitência são coisas que uma pessoas arrependida deve fazer como sacrifício para ser perdoada, depois que confessar seus pecados.
Entretanto, o significado bíblico de arrependimento é “μετανοια” que significa literalmente uma mudança de mente. Em Romanos 12:1,2, Paulo nos diz o seguinte: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e gradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Isso é arrependimento: um culto racional advindo de uma mente transformada, que nos leva a viver a boa, agradável e perfeita, vontade de Deus.
O genuíno arrependimento meça com a convicção do Espírito Santo a respeito do erro, e termina numa profunda decisão de não cometer mais aquele erro. As vezes, o arrependimento implica fazer restituição, mas devemos entender que ela é uma consequência da mudança de mente. Penitência, entretanto, é uma tentativa de fazer algo para redimir o pecado. Isso nega totalmente o pagamento que Jesus Cristo já fez por nossos pecados. 
Esta é a definição de penitência extraída da encilopédia eletronica Wikipédia :  Penitência são atos como: jejuns, vigílias, peregrinações que os fiéis — ou a Igreja — oferecem à Deus ao Pai Criador, como provas de que estão arrependidos dos seus pecados; praticados dentre os diversos ramos do cristianismo — de diferentes formas — com a finalidade de expiação dos pecados; tendo o significado de um sacrifício pessoal do fiel, pagando um pecado cometido, ou agradecendo uma graça recebida”.  A pergunta que se segue é esta: praticamos arrependimento ou penitência?

Pr. Joao Carlos N. Rocha