CONSAGRAÇÃO E A VIDA NO ESPÍRITO

CONSAGRAÇÃO E A VIDA NO ESPÍRITO
EF 4:1a 32

Introdução: Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. 
Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer. Gal 5:16,17

I – VIDA NO ESPÍRITO É ANDAR NA VOCAÇÃO A QUE FOMOS
      CHAMADOS, EF 4:1a14         
   a – Andar na vocação é manifestar os frutos do Espirito, v 2
   b – Andar na voação e manter a unidade, v.3 a 6
   c - Andar na vocação é andar na manifestação dos dons do Espírito, v. 7 a 14.
II – VIDA NO ESPÍRITO É ANDAR NA VERDADE EM 
        AMOR, EF 4: 15 a 19
   a – Andar na verdade é crescer em tudo em Cristo que é o cabeça, v. 15
      a.1 Crescer em Cristo é resultado da cooperação de todo o corpo, v.16
   b -  Andar na verdade é o oposto do andar do gentio ou incrédulo, v. 17 a 19
      b.1  Não andar na vaidade dos próprios pensamentos, v.17 
      b.2  Não andar obscurecidos de entendimento, v.17
      b.3 Não andar alheios à vida de Deus por causa da:
         b.3.1 Ignorância em que vivem, v.18
         b.3.2 Pela dureza do seu coração, v.18  
   c – Andar na verdade é não se tornar do insensível, v.19
   d -  É não se entregar à dissolução cometendo toda sorte de impureza, v.19  
III –  VIDA NO ESPÍRITO É ANDAR COMO APRENDEMOS 
           DE CRISTO,  EF 4:20 a 24
      a -  E se despojar  do velho homem, v.22
      b -  É nos renovarmos no espírito do nosso entendimento , v.23
      c -  O conteúdo da nossa mente se adapta ao conteúdo do espírito, 
             I Cor 14:14a16
      d -  vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as 
            concupiscências do engano,
      e -  É nos revistirmos do novo homem, criado segundo Deus, v.24
         e.1 Em justiça e retidão procedentes da verdade. v.24
IV - VIDA NO ESPÍRITO É SEGUIR AS NORMAS GERAIS, EF 4: 25 a 32
     a - É deixar a mentira e falar cada um a verdade com o seu próximo,  v.25
     b - É irai-se e não pecars; não se poro sol sobre a nossa ira, v.26
     c -  Não dar lugar ao diabo, v.27
     d - É trabalhar para ter com que abençoar  os irmãos, v.28
     e - Falar somente o que edifica, v29
     f - É não entristeçais o Espírito de Deus, não ter amargura, cólera, ira, gritaria, 
          e blasfêmias,
     g - É ser benigno, compassivo, perdoandoador, v.30 a 32

Conclusao: Vida no espírito é manifestar a graça de Deus em nosso viver diario.

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO

1 – Estou vivendo de acordo com a vocação a que fui chamado?       
2 – Quais as duas maiores coisas que me impedem de viver minha vocação ?
3 – Qual as duas coisas que farei para viver minha vocação?

CONSAGRAÇÃO E SUBMISSÃO DA ALMA - ESTUDO 2

CONSAGRAÇÃO E SUBMISSÃO DA ALMA - ESTUDO  2
MT 26:36 A 47

Introdução: Necessitamos submeter nossa alma pela consagração porque ela não é capaz de entender nem tem o poder de fazer a vontade de Deus por ela mesma. Sòmente podemos fazer isso pela ação do Espírito em nosso espírito.  O espírito de Deus em nosso espírito controlando a alma e o corpo. 2 Cor 5:1,2,4.

I –A DIFERENÇA ENTRE A ALMA E O ESPÍRITO HUMANO.       
   a – Alma: hebraico nephesh–denota individualidade ou personalidade
   b – Espírito: hebraico Ruach, e que aparece traduzido como espírito
       b.1 Energizante centelha de vida essencial à existência de um indivíduo
       b.2 Representa a energia divina
       b.3 Princípio vital, que anima os seres humanos
       b.4 O ruach do homem abandona o corpo por ocasião da morte
              e retorna a Deus (Sl 146:4) (Ec 12:7; cf. Jó 34:14).
   c – O equivalente neotestamentário de ruach é pneuma, ‘espírito’, proveniente
          de pneo, ‘soprar’ ou ‘respirar’.
   d - Não há coisa alguma inerente à palavra pneuma que possa denotar uma 
          entidade capaz de existência consciente separada do corpo.
II – A ALMA POR ELA MESMO SÓ ENTENDE O NATURAL, Mt 16: 13a23
   a – Revelação não se dá pela carne nem no sangue, v.17
   b -  A alma não entende por si mesma as coisas do Espírito, Mt 17:1a8  
   c – A revelação no espírito move a alma, v.17
   d -  Se o espírito não controlar a alma, o diabo controla v. 22,23
   e -  É a Palavra em nosso espírito que controla nossa alma, Jo 15:3, 17:8,14,19
III –  A CONSAGRAÇÃO RENOVA E TRANSFORMA A ALMA, Rom 12:1,2
      a -  Assim podemos oferecer um culto racional, v.1
      b -  Podemos experimentar a boa, santa e perfeita vontade de Deus,v.2
      c -  O conteúdo da nossa mente se adapta ao conteúdo do espírito, 
             I Cor 14:14a16
      d -  Nos tornamos ministros da nova aliança, 2 Cor 3:6
      e -  Nos tornamos verdadeiros adoradores, Jo 4:23,24
      f -  Andamos no espírito, At 19:21; Gal 5:16

Conclusao: Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém, é espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, e sim o natural; depois, o espiritual. O primeiro homem, formado da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. 1 Cor 15:44a47. Portanto somos um espírito, temos uma alma e vivemos num corpo.
PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO
1 – Estou vivendo como espiritual ou como carnal?        
2 – Quais as duas maiores coisas que me impedem de viver como espiritual ?
3 – Qual as duas coisas que farei para viver como espiritual?

CONSAGRAÇÃO E A SUBMISSÃO DA ALMA

CONSAGRAÇÃO E A SUBMISSÃO DA ALMA
MT 26:36 A 47

Introdução: Segundo Jesus, nosso espírito está pronto, mas a carne é fraca, Mt 26:41b. Nesse texto, "carne" segundo Jesus é a nossa alma. O processo de consagração incluiu nosso ser como um todo: corpo, alma e espírito. Nossa alma é extremamente difícil de consagrar, ela é o que a Bíblia chama de nosso "EU". Nosso eu sempre quer estar no comando, porém ele precisa ser submetido a Deus pelo Espírito.

I –A CONSAGRAÇÃO  DA ALMA  REQUER  PLANEJAMENTO , 26: 36 a 38
        A consagração levará voce a uma grande batalha espiritual.
   a – Escolher um local apropriado, conhecido v.36
   b – Escolher uma estratégia apropriada, oração v.36
   c – Escolher um suporte apropriado, Pedro, Tiago e João, v.37,38
   d - Reconhecer o tipo de pressão a enfrentar no momento, v.38  

II – A CONSAGRAÇÃO DA ALMA REQUER  SINCERIDADE 
       E DETERMINAÇÃO, 26: 39 a 41
   a – Pai, se possível passa de mim esse cálice v.39      
   b – Todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres, v.39
   c -  Nenhuma hora pudeste vigiar, v.40
   d -  Requer sinceridade a respeito da fraqueza humana, v.41

III –  A CONSAGRAÇÃO DA ALMA REQUER PERSEVERANÇA, 42 a 47
      a -  Pela segunda vez ... v.42
      b -  Reconhecer a razão da coisas ajuda a perseverança, v.43
      c -  Não se deixar influenciar pela fraqueza dos outros, v.44
      d -  Reconhecer a hora e não se intimidar, v. 45
      e -  Reconhecer a hora de se mover, v.46,47

Conclusao: A consagração da alma exige de nós extrema dependencia de Deus e  fé de que Deus está no controle de todas as situações.

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO
1 – Vimos que a consagração requer que estejamos conscientes do plano de Deus para nós. Quão    
       envolvido eu estou com o plano que Deus tem para mim?
2 – Quais as duas maiores coisas que me impedem o planejamento da minha consagração ?
3 – Qual as duas coisas que para aperseverar na minha consagração

PASSOS PARA A CONSAGRAÇÃO

PASSOS PARA A CONSAGRAÇÃO
II CRON 7:1 A 16

Introdução: Salomão estava experimentando o resultado da consagração: acabou de CONSAGRAR o Templo e a glória do Senhor encheu o lugar. Consagração exige que tudo esteja em seu devido lugar acontecendo de maneira cert: cantores ocupando e fazendo sua parte, sacerdotes sacrificando, povo glorificando e se alegrando nas festas. Quando fazemos assim, Deus nos prospera em tudo o que fazemos, II Cron 7:1a 11.
I – DEUS SEMPRE ACEITA NOSSA CONSAGRAÇÃO, 7:12 
   a – Ouvi tua oração, v.12
   b – Escolhi para mim... v.12
   c – Este lugar de sacrifício, método de relacionamento com Deus, v.12  
II – CONSAGRAÇÃO NÃO ANULA A JUSTIÇA DE DEUS, v.13 a 14
    a – SE anularem a consagração: v.13
       a.1 Cerrar os céus
       a.2  Ordenar aos gafanhotos que consuman
       a.3 Enviar a peste sobre o povo
    b – SE voltarem a consagrar-se: v.14
       b.1 Meu povo, chamado pelo Meu nome
       b.2 Passo 1 da consagração: se humilhar
       b.3 Passo 2 da consagração: e orar
       b.4 Passo 3 da consagração: e Me buscar
       b.5 Passo 4 da consagração: e se converter de seus maus caminho   
III –  OS RESULTADOS DA CONSAGRAÇÃO, v.14 a 16
   a -  ENTÃO:
     a.1 Ouvirei dos céus, v.14
     a.2 Perdoarei seus pecados, v.14
     a.3 Sararei sua terra, v.14
   b –  ESTARÃO: v. 15 a 16
     b.1 Abertos meus olhos
     b.2 Atentos meus ouvidos
     b.3 Por que EU escolhi...
Conclusao: Deus não anula Sua justiça por causa de Seu amor. Somos nós que liberamos ou o amor ou o castigo da justiça sobre nós.

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO
1 – Já estou seguindo os passos e vivendo minha consagração ao Senhor?
2 – Quais são os passos da consagração nos quais tenho mais dificuldade?
3 – Que farei para vencer os obstáculos que impedem minha consagração

CONSAGRAÇÃO E AS PROMESSAS - ESTUDO 03

CONSAGRAÇÃO E AS PROMESSAS - ESTUDO 03
GENESIS CAP. 22

Introdução:  Consagração é a resposta que damos às promessas de Deus. As promessas requerem de nós sòmente duas coisas: esperar o tempo de Deus e estar no lugar de Deus para nós. Enquanto esperamos o tempo no lugar certo, Deus traz provisão abundante. Mas se nos movemos por nós mesmos só causamos desastres como Ló que saiu do lugar e sua familia virou Sodomita e Sara que saiu do tempo e gerou Ismael. A lição deste ultimo estudo sobre consagração e promessas e: a benção não pode ocupar o lugar de Deus em nossa vida.

I – PRIMEIRO, DEUS FALA CONOSCO SOBRE NOSSA PROMESSA, Gn 22:1,6
  a – A fala de Deus é pessoal, íntima v.1
  b - A fala requer o sacrificio de nossa benção, v.2
  c - A fala desafia o conteúdo da nossa fé, de quem cremos ser ELE, v.2
  d - A fala exige uma resposta de nossa parte, v.3
  e - A fala exige dependência DEle, v.4
  f - A fala exige privacidade: Deus, Abraão e Isaac, v. 5,6 

II – SEGUNDO, NOSSA PROMESSA FALA CONOSCO, Gen 22:7,8
   a – Isaac faz a pergunta cruel: e a oferta para o sacrifício? v.7
   b – A resposta da fé: Deus proverá a oferta, v.8, Heb 11:17 a 19
   c - Colocando a promessa sobre o altar, v.9,10

III – TERCEIRO, DEUS GRITA NOSSO NOME, Gen 22:11a19
     a – O Primeiro Grito: Gen 22:11 a 14
        a.1 É um grito de proteção da nossa benção, v.11
           a.1.1 A voz de Deus deve parar o que estamos fazendo
        a.2  É um grito de de avaliação de nossa vida v.12
        a.3  É um grito que leva à provisão, v.13,14
     b - O Segundo Grito: Gen 22:15 a 19
        b.1 É um grito de declaração de um decreto, v.15
        b.2 Declaração do decreto feito com base no próprio Deus, v.16
        b.3 Por esse decreto, a aliança se transforma numa lei, v.17,18
        b.4 Então podemos descansar e fixar residencia, v.19
         
Conclusão: Segundo a Bíblia, sao tres passos para obtermos a concretização da promessa: 1)Devemos nos consagrar, 2)A promessa deve ser transformada em aliança, 3)A aliança precisa se tornar em LEI PUBLICADA por um brado de Deus.

PERGUNTAS PARA MEDITAÇÃO

1 – Em que fase estou no processo de possuir minha promessa?
2 – Quais sãos as duas principais coisas que me impedem de prosseguir e conquistar?
3  - Duas principais coisas que farei para tornar minha promessa em DECRETO DE DEUS.