FÉ EM TEMPOS DE CRISE


FÉ EM TEMPOS DE CRISE
IS CAP 36 A 37

Introd: Toda crise é na verdade uma tentativa do mundo para estabelecer outro senhor na
              vida do cristão. O que está em jogo na crise é nossa fidelidade e dependencia do
              nosso Deus. Dessa maneira, a crise confronta de maneira profunda nossa fé, crise
              pode desestabilizar ou fazer nossa fé crescer. A crise nos obriga a tomar decisões
              e isso demonstra se a nossa mentalidade é cristã ou secular. Vamos analisar a crise
              do rei Ezequias e aprender.               
       
I –  UMA CRISE DE PROPORÇÕES CATASTRÓFICAS, CAP 36
  a – O inimigo conquistou tudo, só faltava Jerusalem que já estava cercada, 36:1,2
  b – O inimigo se apresenta como “sumo rei” 36:4a, e confronta tres áreas de nossa vida:
     b.1 Confronta nossa capacidade e nossas possibilidades, 36:5,6, 37: 11 a 13
     b.2 Confronta nossa fé em e tenta dizer que Deus não está conosco, 36:7a13; 37:10
     b.3 Se levanta e tenta levantar o povo contra seu líder, 36:14a20
      
2 –  A AÇÃO DA FÉ EM TEMPOS DE CRISE, CAP 37    
    a – Não devemos argumentar com o inimigo (ex:Eva), devemos nos humilhar, 36:21,22
    b – Devemos nos humilhar e entrar na casa (presença) de Deus, 37:1; 37:14  a 20
    c – Devemos consultar a Palavra de Deus pelo profeta, 37:2a5, Sl 139:16
       c.1 Devemos reconhecer nossa impossibilidade, 37:3
       c.2 Buscar em Deus a solução sabendo que Ele conhece o problema, 37:4
    d – A soberania de Deus sobre nossos inimigos e  problemas 37: 6a8; 26a29
       d.1 Assim diz o Senhor: não temas por causa das palavras, v.6
       d.2  Porei nele um espírito, ele voltara para sua terra e nela o farei cair, v.7,8; 33a38
    e – A benção de Deus sobre seu povo, 30 a 34
       e.1 Um sinal: provisão e fé em ação, v.30
       e.2 Lança raizes e ser produtivo, v.31,32
       e.3 Firmar-se na garantia da Palavra do Senhor, v.33,34

Conclusão: O ensino bíblico é que os tempos de crise servem para o exercício de
                     nossa fé. É nesse tempo que nosso conhecimento e intimidade com Deus
                     devem aumentar e na medida que isso acontece, nossos inimigos caem.
                     

PERGUNTAS

1 – Que areas de minha vida são afetadas em tempos de crise?
2 – Meus inimigos caem e eu sou abençoado em tempos de crise?

COMO CONHECER O SALVADOR

COMO CONHECER O SALVADOR
LUCAS 2:22 a 35

Introd: Os tempos de Simeão são similares ao nosso, muitos diziam ter a verdade de
              como conhecer a Deus, ex: os fariseus, saduceus e os interpretes da lei, porém
              eram somente religiosos. Assim também hoje ao invés de um conhecimento
              de Deus que vem do relacionamento com ele muitos vivem sòmente uma
              vida religiosa sem comunhão com Deus. O que impressiona é a facilidade
              com que podemos cair nisso.             
       
I – VIVENDO UM ESTILO DE VIDA AGRADÁVEL A DEUS,
  a – Justo  (integro, perfeito)  Luc 2:25; Gen 6:9
  b – Piedoso (misericórdia, compaixão) Luc 2:25; Luc 10:30
  c –Vivia uma expectativa, uma esperança (Jesus) 2:25
  d – Vivia em submissão ao Espírito Santo (estava sobre ele) Luc2:25, 27
   e – Vivia em comunhão com o Espírito Santo, Luc 2:26, Jer 33:3
    
2 – VIVENDO PELA REVELAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO, LUC 2:26 a 33     
    a – Revelação é trazer a luz algo oculto, Luc 2:26
    b – Revela a vida. o Seu poder sobre a morte, Luc 2:26, João 1:4
    c – Revela o plano de Deus (ver o ungido) 2:26
    d – A revelação é o que te coloca no teu destino, Luc 2:27
    e – A revelação é que torna as promessas em realidade, Luc 2: 28 a 30
    f – A revelação expande o entendimento, Luc 2: 31,32

Conclusão: Nossa revelação traz revelação para os outros, v.33,
                    nos torna abençoador v.34, e nos torna profetas, v.34,35


PERGUNTAS

1 – Meu estilo de vida confirma que conheço e amo a Jesus?
2 – Qual o tipo de relacionamento que tenho com o Espírito Santo?

FIDELIDADE: NOSSA RESPOSTA A DEUS


FIDELIDADE: NOSSA RESPOSTA A DEUS

Introd: Fidelidade involve crer em algo e confiar em alguém. Como cristãos nossa 
              fidelidade está primeiramente relacionada com confiar em nosso Deus e 
              crer que Sua palavra é verdadeira. Isso é o que vai desenvolver nosso caráter
              cristão. Fidelidade significa viver o plano que Deus tem para nós, fidelidade 
              é a fé em ação, Heb 11:6.  Fidelidade é um fruto do Espirito Santo, Gal 5:22.
       
I – FIDELIDADE É RESPOSTA AOS DEZ MANDAMENTOS, EX 20:1 a 17
  a – Os dez mandamentos são a expressão do caráter de Deus.
  b – Fidelidade é a expressão do AMOR: A Deus e ao próximo.
  c – Fidelidade nos posiciona para que  Deus nos cuide, Sl 37:28
   d – Fidelidade acumula as bençãos de Deus sobre nós, Prov 28:20a
    
2 – O REINO DOS CÉUS E A FIDELIDADE, MT 25:14 a 30
      No reino dos céus a fidelidade é um item indispensável  
    a – O reino dos céus é baseado na fidelidade:
         a.1 Somos despenseiros do reino de Deus, 1 Cor 4:1,2; 1 Pe 4:10
    b – A fidelidade requerida vem da justiça de Deus:
        b.1 Ele confiou os seus bens, Mt 25:14b
        b.2 Ele requer segundo a capacidade que deu a cada um, Mt 25:15b
        b.3 Ele vai pedir contas do uso dos seus bens, Mt 25:19
     c – Precisamos BUSCAR em primeiro lugar o reino e sua justiça, Mt 6:32
     d – Nossa busca revela onde está nosso coração, Mt 6: 20,21
     e – É nosso compromisso com o reino que define nossa prosperidade, Mt 6:33b
        e.1 Abraão, Gen 13:2; Jacó, Gen 30:43; Barzilai, 2 Sam 19:32; Luc 12:16 a 21

Conclusão: A fidelidade que o Espírito Santo produz em nós tem um objetivo:
                     Nos habilitar para vivermos a plenitude do reino de Deus.

PARA CONVERSAR:

1 – Segundo o padrão do reino de Deus, como estou vivendo o “ítem fidelidade”?
2 – O que farei para aumentar minha fidelidade em relação ao reino de Deus?

BENÇÃO DOS DÍZMOS E OFERTAS


BENÇÃO DOS DÍZMOS E OFERTAS
MAL 3:8 A 12 - 2 COR 9:6 A 11

Introd: Nossas ofertas e nossos dízimos expressam nosso coração. Segundo a Bíblia,
             podem expressar generosidade ou avareza. A contribuição é a maneira de
             honrarmos a Deus, Prov 3:9 e também é o princípio que libera as benção de
             Deus para nossas vidas, Prov 3:10. Nos dízimos nosso coração expressa
             obediência, nas ofertas expressam o amor de Deus que está em nós. Os
             dízimos e as ofertas estão ligados a lei da semeadura e da colheita.
       
I – A BENÇÃO DOS DÍZIMOS, Malaquias 3:8 a 12
  a – Os nosso dízimos são uma obrigação: trazei todos, v.10a
  b – Dízimos seguem a lei da plantação e da colheita, reflete obediencia:Gal 6:7
  c – Dízimos pertencem a Deus: se não entregamos, roubamos.
  d – Roubo nos dízimos trazem maldição, Mal 3:9
  e – Fidelidade nos dízimos trazem a colheita da obediencia: Mal 3:10 a 12
         e.1 Deus abre as janelas dos céus, Mal 3:10
         e.2 Derrama bençãos sem medida, Mal 3:10
         e.3 Deus repreende o devorador, Mal 3:11
         e.4 Vamos receber o nome de feliz e deleitosos, Mal 3:12
    f – Dizimos tem um propósito: manter a casa, Mal 3:10b
    
2 – A BENÇÃO DA OFERTAS, 1 Cor 9:6 a 11
     a – São segundo propomos no coração com alegria, v.7ª
     b – O que contribui, com liberalidade, Rom 12:8
     c – Seguem as leis da plantação e colheita, refletem o amor: Jo 3:16; Jo12:24
     d – Podemos também roubar nas ofertas, Mal 3:8; Luc 6:38
     e – As ofertas trazem a colheita da fé,1Cor 9:6,8
     f – Ofertas nos mudam de de nível financeiro, 1 Cor 9:10,11
     g – As ofertas tem um propósito: produzir generosidade, 1 Cor 9:11b 

Conclusão: O segredo dos dízimos e das ofertas é que produzem algumas coisas:
                    Glorificam a Deus, nos enchem da graça d eDeus, produzem gratidão
                    em nossos corações e servem de testemunho para os outros.

PERGUNTAS

1 – Como está meu relacionamento com os dízimos?
2 – O que minhas ofertas dizem sobre mim e sobre Deus?
3 – O que impede um melhor relacionamento com Deus na minha vida financeira?

O PODER DA DECISÃO - 03


O PODER DA DECISÃO - 03

Introd: Hoje vamos falar sobre fazer decisões corretas. O filosósofo e matemático
              grego Platão disse: “Uma boa decisão é baseada em conhecimento e não
              em números”. Portanto decisões cristãs corretas vem do nosso conhecimento
              e intimidade com Deus. Oséias disse: “Conheçamos e prossigamos em
              conhecer ao Senhor;” Os 6:1a. Isso significa um processo.

I – O PROCESSO DA DECISÃO DE  CONHECER A DEUS     
  a – Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem, Jó 42:5.
      a.1 Primeiro conhecia como uma filosofia convincente
      a.2 Depois como uma presença transformadora
  b – A essência do processo para o conhecimento de Deus
     b.1 Perder a vida para ganhar, Jo 12:24,25
     b.2 Seguir a Jesus servindo-o e estando onde Ele está, Jo 12:26; 17:24
  c – Tudo começa pela vontade de Jesus e segue com nossa obediência
     c.1 Jesus é quem nos escolhe, Jo 16:16
     c.2 Nos regenera para o plano anterior de Deus, Ef 2:10
     c.3 O Espírito Santo nos dirige, Jo 16:14
     c.4 Segue com nossa decisão de permanecer Nele, Jo 15:4,5
     c.5 Segue com nossa decisão de guardar os mandamentos por amor. Jo 14:15
     c.6 Nossa parte só é possível pela fé, Heb 11:6; Rom 1:17
 
II – O PROCESSO DAS DECISÕES CORRETAS E O SUCESSO
        Decisões corretas não são fruto do acaso, elas requerem algumas fases!
  a – Primeira fase é a mudança dos resultados, é a mais imediata.
     a.1 Nossos alvos estão associados a essa fase
        a.1.1 Exemplo de alvos: cuidar da saúde, perder peso, escrever um livro.
        a.1.2 Daniel tinha um alvo de não contaminar-se, Dan 1:8
     a.2 Oração era  alvo de Jesus: Mc 1:35, Luc 5:16, Luc 6:12, Mt 14:23    
  b – A segunda fase é a mudança dos processos
     b.1 Esse nível se preocupa em mudar seus hábitos e sistemas
        b.1.1 Hábitos de exercícios na academia
        b.1.2 Hábito da leitura da bíblia, Heb 5:12 a14
        b.1.3 Mudança de hábitos alimentares, Num 11:4 a 6  
        b.1.4 Criando hábito da oração, Dan 6:13; Luc 5:15,16
  c – A terceira fase é a mudança  da identidade, última e mais difícil
     c.1 Esse nível se preocupa em mudar suas crenças
        c.1.1 Crença de quem somos, Num 13:32,33; 14:6 a 9
        c.1.2 Crença de quem Deus é, Jó 1:21
     c.2 É neste Nível que está algo chamado “integridade”, Jó 2:9

Conclusão: Nosso problema na vida espiritual é que queremos sucesso
                    sem decisões que nos posicionem pare ele. Focamos na
                    maioria das vezes no que Deus já fez por nós e não nas
                    decisões de fé para tomarmos posse do que já é nosso.

PERGUNTAS

1 – O que as minhas decisões dizem sobre meu conhecimento de Jesus?
2 – Em qual fase dos processos de decisão estou trabalhando agora?
3 – Que decisões estão impedindo meu sucesso?

O PODER DA DECISÃO - 02


O PODER DA DECISÃO - 02
 LIVRO DE DANIEL 

Intro: O que você decide é a imagem do tipo de pessoa que
           acredita ser. Decisões refletem sua visão de mundo, sua
           auto-imagem, seus julgamentos sobre você e os outros.

I – NOSSAS DECISÕES REFLETEM NOSSA IDENTIDADE
     Nossa identidade cristã é formada por um processo no qual permitimos
     que a Bíblia seja o fundamento de tudo o que dizemos e fazemos.
  a – Nenhuma circunstancia abala a identidade centrada na Biblia
  b – Ser escravo não tem poder de mudar a identidade de Daniel
  c – Mudança de nome não tem poder de mudar a identidade de Daniel, v.7
     c.1 Daniel=Deus é meu Juiz X Beltessazar=  protetor do rei
  d – Ambiente não tem poder de mudar a identidade de Daniel, v.5,8
  e – Todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus, Rom 8:28  

II – DECISÕES QUE ERAM HÁBITOS DE DANIEL       
  a – Não se conformar com seu ambiente, Rom 12:2
     a.1 Ser agente de transformação é um resultado.    
  b – Ter ousadia e perseverança espiritual (isso nos dá autoridade), 1:8; 2:16
     b.1 Confiar em Deus para mudar coisas impossíveis
     b.2 Tomar decisões de fé quando necessário, 1:8,10
     b.3 Ter um plano quando quando necessário, 1:12,13
  c – Andar com as pessoas certas, 2: 17,18; 3:15 a 17
  d – Testemunha de seu Deus, 3: 26 a 28
  e – Ter uma vida constante de oração, 6:13, jejum e humilhação, 9:3,4
     e.1 Incluindo súplica e confissão de pecados
  f – Vida de meditação profunda na palavra de Deus, 9:1,2
  g – Escrever as revelações e os feitos do seu Deus, 7:1

Conclusão: Pareceu bem a Dario constituir sobre o reino a cento e vinte sátrapas,
                    que estivessem por todo o reino; e sobre eles, três presidentes, dos
                    quais Daniel era um, aos quais estes sátrapas dessem conta, para que
                    o rei não sofresse dano. Então, o mesmo Daniel se distinguiu destes
                    presidentes e sátrapas, porque nele havia um espírito excelente; e o
                    rei pensava em estabelecê-lo sobre todo o reino. 6:1 a 3

PERGUNTAS

1 – Atualmente suas decisões aumentam ou drenam sua vida espiritual ?
2 – Quais dois hábitos bíblicos que voce usa para tomar suas decisões?
3 – Quais são duas que voce vai fazer para formar sua identidade cristã  ?

O PODER DA DECISÃO - 01


O PODER DA DECISÃO - 01
DANIEL 1:1 A 21

Intro: A palavra decisão vem do latim e significa literalmente "cortar". Ao tomar
           uma decisão, eliminamos efetivamente todas as outras possibilidades. Nós nos
           tornamos inacessíveis. Não estamos mais abertos para nós mesmos. O medo
           de tomar uma decisão errada  nos mantém presos. A indecisão reina e, isso
           nos deixa algemados. Ficamos incapazes de avançar ou de de voltar.

I – DECISÃO = EXPRESSÃO DE QUEM CREIO QUE SOU!
  a –  Sou um ser psicológico. Sou a totalidade dos elementos que
         formam minha mente: meu sentir, perceber, pensar, querer, raciocionar
  b –  Sou um ser espiritual: “O que é nascido da carne é carne; e o que é
          nascido do Espírito é espírito”. Joao 3:6
  c –  Daniel é um bom exemplo da expressão de decisão cristã:
     c.1 Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se, Dan 1:8
   

II – RESOLVEU FIRMEMENTE NÃO CONTAMINAR-SE, Dan 1:8       
  a – Resolveu: uma decisão da alma, Rom 12:1,2
     a.1 Apresentar o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e
           agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
     a.2 E não vos conformeis com este século
     a.3 mas transformai-vos pela renovação da vossa mente
  b – Não contaminar-se: uma decisão espiritual
     b.1 O espírito controlova sua alma, era homem espiritual
     b.2 Ele conferia coisas espirituais com espirituais
     b.3 Ele julgava todas as coisas,1 Cor 2:15a
     b.4 Ele tinha a mente de Cristo, 1 Cor 2:16b
    
III – FIRMEMENTE, Dan 1:8
    a – Daniel eliminou efetivamente todas as outras possibilidades
    b – Ele se tornou inacessíveis para a cultura da corte.
    c – Daniel não estava mais aberto para si mesmo
    d – Não havia indecisão, estava sem algemas algemas, livre
 
Conclusão: O segredo de Daniel é que ele sabia quem ele era, porisso
                     ele sabia o que fazer na situação em que se encontrava.
                     sabemos disso pela decisão que tomou.

PERGUNTAS

1 – O que as minhas decisões estão dizendo sobre mim?
2 – O que precisa acontecer para que eu mude minhas decisões?
3 – Quando vou tomar as decisões que mudarão minha vida?

COMO SER VENCEDOR NUM MUNDO CORROMPIDO


COMO SER VENCEDOR NUM
MUNDO CORROMPIDO
GENESIS 6: 8 A 33

Intro: Noé foi alguém que viveu tempo de completas trevas espirituais, porém andava na 
           luz. Ele e sua sua família foram os unicos na sua geração que andaram na luz e 
           foram salvos. Jesus disse que os últimos tempos seriam como no tempo de Noé, 
           Mat 24:37,38. Quais os princípios que governavam a vida de Noé, no tempo em 
           que ele ainda não tinha nem a Palavra de Deus escrita?
        
I – UMA VIDA NA GRAÇA DE DEUS, V.8
  a –  Justo entre seus contemporaneos, v.9b, 7:1
  b –  Íntegro entre seus contemporaneos, v.9c
  c –  Andava com Deus, v.9d; Gen 3:8. O que acontecia na caminhada?
     c.1 Companheirismo, Gen 6:9c
     c.2 Diálogo, Gen 6:13
     c.3 Intimidade, Gen 6:18
     c.4 Tomada de decisões juntos, Gen 2:19,6:20
     c.5 Prazer mútuo, Gen 6:8
     c.6 Dominio compartilhado, Gen 6:14. 

II –OBEDIÊNCIA DA FÉ MESMO QUANDO NÃO FAZ SENTIDO        
  a – Viver uma vida firme e constante na presença de Deus.
  b – Viver uma vida de temor diante de Deus, Heb 11:7
  c – Viver uma fé inabalável que o tornou justo, Heb11:7
  d – Pregar a mensagem de Deus sem desanimar, 2Pe 2:5

III – TORNA-SE UM COOPERADOR DE DEUS
    a – Pregador da justiça, 2 Pe2:5
    b – Cooperar no projeto da arca de Deus, Gen  6:14,15,16
    c – Preparar a sobrevivência da criação de Deus, Gen 6:21
    d – Tornar-se fiel executor do projeto, Gen 7:5      
 
Conclusão: Com toda certeza Deus está executando seus projetos sobre a terra e
                     e quer continuar usando homens e mulheres como fez no tempo de
                     de Noé. No qual projeto de Deus estou enovlvido?

PERGUNTAS

1 – Estou vendo claramente a corrupção que me rodeia?
2 – Qual os aspectos dessa corrupção que mais me pressionam?
3 – Como respondo as pressões do mundo corrompido ao meu redor?