QUEM SOMOS?

Efésios 1:12 diz que fomos escolhidos em Jesus, “...a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo”. Somos o louvor da sua glória! O que isso quer dizer? Primeiro, temos que entender o significado da palavra louvor é: Louvor significa falar bem de, exaltar, ou magnificar as virtudes de alguém. Segundo, temos que entender o significado de glória é: Glória é a beleza que emana do caráter de Deus, de tudo o que Ele É.
Portanto, quando a Biblia diz que somos para o louvor da sua gloria, isso significa que nossa vida deve falar bem de Jesus, exaltar a Ele, ou magnificar as virtudes Dele. Além disso, devemos expressar a beleza do caráter de Deus em nós, devemos expressar o que Ele é. Como vamos cumprir na prática isso que somos?
Primeiro, não podemos fazer isso por nós mesmos. Então como será possivel sermos o que não podemos ser? Veja como podemos ser o que não somos por nós mesmos. Colossenses 3: 2,3,4 diz: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória. Esse é o plano de Deus: que não seja nós que vivamos, mas que Jesus viva em nós.
Segundo, a manifestação do caráter de Deus acontece em nós quando o Espírito Santo produz aquilo que a Biblia chama de fruto do Espírito Santo. O fruto do Espírito Santo manifesta as qualidades de Deus. Leia isso: Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Gálatas 5:22,23.
Pr Joao Carlos

ABANDONANDO O CÂNTARO

João 4:28,29

“Quanto à mulher, deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens:
Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo”?! Esse registro precede o encontro de uma mulher pecadora com Jesus. Quando temos encontros significativos, eles tem o poder de mudar as nossas vidas. No caso desse encontro, o fato dela abandonar o cântaro junto ao poço nos diz algumas coisas: Primeiro, mudou suas prioridades. Quem iria buscar água e voltaria sem nada deixando o balde junto ao poço? Nossas prioridades dizem muito sobre nós mesmos. Mostram quais são as coisas realmente importantes para nós, mostram quais são as coisas que nos causam alegria, mostram as coiss pelas quais estamos dispostos a pagar um preço, etc. No caso dessa mulher, Jesus se tornou para ela mais importante do que o cuidado de sua casa (deixou o cantaro no poço), se tornou mais importante do que sua propria vida, porque não teve medo de expor aos outros que Jesus disse que ela ja tinha tido cinco maridos. Ela também abraçou uma nova causa para sua vida: fazer Jesus conhecido.

Segundo, um encontro com Jesus também muda nosso conceito a respeito de nós mesmos. No caso da mulher podemos pensar na mudança de conceito de si mesmo da seguinte maneira: até agora eu fui uma tremenda pecadora, alguém que andou procurando preencher minha vida através de relacionamentos amorosos errados, agora eu quero ser testemunha de Jesus, que deu nova razão para minha vida. Eu fui aceita, agora vou viver para fazer conhecido aquele que me aceitou. Meu passado não me constrange, meu futuro me impulsiona a compartilhar e a viver a nova vida que ganhei de Jesus.

Terceiro, um encontro com Jesus completa nosso ser. Fomos criados por Deus para termos 3 tipos de vida: bios, que é a vida de nosso corpo, psiche, que é a vida de nossa alma, e zoe, que é a vida espiritual, a vida de Deus em nós. Naturalmente vivemos os dois tipos de vida, porém a vida zoe, só recebemos quando temos um encontro transformador com Jesus. Essa mulher agora estava completa, tinha bebido da água da vida, nunca mais teria sede e seria uma fonte a jorrar para a vida eterna. Porisso ela abandonou seu cântaro. Você já abandonou seu cântaro, ou ainda está procurando se completar com coisas que estão fora da vida de Deus?
Pr Joao Carlos

A FÉ É A CERTEZA…

Uma coisa que vivemos nos dias presentes é a incerteza. Porém a Bíblia diz: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem” Heb 11:1. Se fé é certeza, como podemos viver a fé nestes tempos tão incertos? A primeira coisa que devemos considerar é o significado de fé. Fé não é negar a realidade. Fé é tomar um posicionamento para que a realidade seja mudada. Segundo o versículo acima “fé é a certeza dos coisas que se esperam”. Portanto, fé é algo que toma um posiconamento de mudar o foco. Tira os olhos das coisas que estão acontecendo e coloca naquilo que queremos que aconteça.

A fé implica também uma mudança de foco do reino natural para o reino espiritual. A fé não nega a realidade natural, ela estabelece a realidade espiritual como aquela que comanda os acontecimentos. Porisso, a fé genuína vem pelo ouvir da Palavra de Deus. Romanos 10:17: “ E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo". Quando ouvimos o que Deus diz e decidimos crer em sua Palavra, colocamos a realidade natural em submissão à vontade do Senhor. Aí o Senhor, mediante nossa fé, muda a realidade. Aí a certeza das coisas que esperamos, se torna realidade. Isso é fé.

Uma coisa que Deus já disse em Sua palavra a nosso respeito, é que somos Sua habitação, Ele habita em nós, somos Seu templo. Porém, não somos templo sòmente para hospedar Sua presença, mas somos “...ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus”, I Corinthians 4:1. Porissso, pela fé devemos nos envolver em compartilhar a presença que hospedamos com aqueles que ainda não o conhecem. Nossa missão é essa: Somos um povo com a missão de carregar a glória de Deus para nossa geração.
Pr. Joao Carlos

DÁ-ME DE BEBER

João 4:7

Esse foi um pedido feito por Jesus a uma mulher pecadora na beira de um poço. Fácil de entender porque o texto anterior diz que Jesus estava viajando, e parou na beira do poço para descansar. Ele precisava receber água da mulher samaritana. A sequência do texto descreve toda a conversa que tiveram, mas na verdade não afirma que ele recebeu a água que pediu. Entretanto podemos afirmar com certeza que recebeu da mulher o que realmente queria: sua atenção e oportunidade para revelar a ela que Ele era o Messias. E a revelação de que ele era o Messias mudou a vida daquela mulher.

Agora que ele já foi glorificado e não tem mais necessidade alguma, será que ainda deseja receber algo de nós? A resposta é sim. Ele quer de nós o mesmo que queria daquela mulher: nossa atenção e a oportunidade para revelar quem ele é para nós. Porém, para descobrirmos quem ele é, dele temos que primeiro conhecer quem somos em nós mesmos: pecadores. Quando aceitarmos e confessarmos a ele que somos pecadores, então começaremos a descobrir quem ele é para nós.

Descobrimos que Ele é aquele que nos aceita como somos. Descobrimos que ele é a água viva que mata nossa sede de maneira permanente. Descobrimos que ele é o profeta que tem a Palavra de Deus para nós. Descobrimos que ele é a própria Palavra de Deus, que devemos adorá-lo em espírito e verdade. Descobrimos ainda que ele nos transforma em fontes a jorrar para a vida eterna. Aceita a oferta da água viva, beba dele.

Pr. João Carlos

COISAS NOVAS PARA O NOVO ENDEREÇO

COISAS NOVAS PARA O NOVO ENDEREÇO

Normalmente, quando recebemos algo, isso vem para nosso endereço. A Bíblia diz que nós “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” Colossenses 1:13. Portanto, temos agora um novo endereço no lugar chamado “Reino do Filho do Seu Amor”. Esse é o lugar a que Jesus se referiu em João 14:2, dizendo que ia preparar lugar.
Importante notar que nesse novo endereço acontecem as coisas que realmente tem importância para nossa vida. Eis aqui algumas delas. A primeira coisa é que nesse Reino do Filho de Seu amor, temos redenção, a remissão dos pecados. Portanto, para quem está nesse reino, já não há mais condenação, Rom 8:1. A segunda coisa é que nesse Reino podemos “...transbordar de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual” Col 1:9. A terceira coisa é que somos “...fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria” Col 1:10. A quarta coisa é que Ele “... nos reconciliou no corpo da sua carne, mediante a sua morte, para apresentar-vos perante ele santos, inculpáveis e irrepreensíveis” Col 1:22. A quinta coisa é que o Pai “... vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz” Col 1:12.
As coisas que recebemos de Deus nesse novo endereço trazem consigo algumas responsabiliades. A primeira é que temos que “... viver de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus” Col 1:10. A segunda responsabilidade é deixar Jesus comandar todas as coisas; “Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, Col 1:18.

BOA SORTE, OU BENÇÃO DE DEUS?

Ao iniciar um novo ano, normalmente as pessoas tem expectativa de que coisas boas aconteçam. Essas expectativas, na grande maioria das vezes, basea-se em uma esperança ligada ao acaso, isto é, não existe uma razão concreta pela qual as coisas boas deveriam acontecer. É mais ou menos a esperança que as pessoas tem ao jogar na loteria, uma chance baseada em muito pouca possibilidade pode acontecer.
Porém, nós como povo de Deus temos o privilégio muito maior do que esperar uma chance aleatória para que as coisas boas aconteçam. Tem um Deus fiel e bondoso a espera da entrega de nossas vidas a Ele para termos acesso as bençãos que Jesus conquistou para nós através de sua morte e ressurreição.
A vida abençoada do povo de Deus não depende de circunstancias, nem favoráveis nem adversas, não depende de termos tudo trabalhando em nosso favor. Ainda que situações ou pessoas deliberadamente estejam contra nós, podemos ser abençoados. Basta que nos coloquemos no centro da vontade de Deus para as nossas vidas, entreguemos nosso caminho a Ele, confiemos Nele, e o mais tudo Ele fará.
Veja o que diz este texto bíblico em Números 23:19: “Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá?”. Na sequencia, o versiculo 23 diz: “...contra Jacó não vale encantamento, nem adivinhação contra Israel; agora, se poderá dizer de Jacó e de Israel: Que coisas tem feito Deus!”.
Agora pense nesta declaração de um profeta chamado Balaão, o qual tinha sido contratado para amaldiçoar o povo de Deus: “Eis que para abençoar recebi ordem; ele abençoou, não o posso revogar” Num. 23:20

Pastor João Carlos Rocha

O REINO DO FILHO DO SEU AMOR

O REINO DO FILHO DO SEU AMOR
Colossenses Capítulo 1:13 a 14 é uma declaração de nossa posição e daquilo que temos em Cristo. A primeira coisa declarada é que estavamos escravos de um império chamado “império das trevas”. Nada havia que pudessemos fazer para sair desse império das trevas, não havia caminho, nem tinhamos poder em nós mesmos para escaparmos dessa escravidão. Então o texto declara: “Ele nos libertou do império das trevas”. A ação foi totalmente de Deus, Ele veio, invadiu o império das trevas e nos libertou. O texto segue declarando a ação de Deus: “e nos tranportou para o reino do Filho do seu amor”. Porisso, agora estamos no reino, esse agora é nosso endereço espiritual.
O texto segue declarando que é no reino que temos “ a redenção, a remissão dos pecados”. Redenção e remissao dos pecados significa perdão e proteção contra a condenação eterna. Isso é algo que, segundo o texto, sòmente acontece para os que estão no reino do Filho do amor de Deus. Isso significa que redenção é um valor do reino, algo que não acontece para quem está fora dele. O chamado “reino do Filho do seu amor” pode ser definido como sendo o governo do Filho sobre todas as coisas. Isso significa que aquilo que somos e temos no reino nos é dado e sustentado pelo próprio rei Jesus. A conclusão é que sòmente temos verdadeira identidade e destino enquanto cidadãos do reino, o reino é único lugar onde essas realidades se tornam manifestas.
Pr. Joao Carlos Rocha